quarta-feira, 29 de janeiro de 2014

Redução de Custos – A Arte da Guerra

Produzir com qualidade e baixo custo não estão relacionados apenas com a tecnologia e matéria prima, mas principalmente produzir de acordo com o mercado e o cenário em que se está inserido. Dessa forma, conhecer o mercado e suas variáveis, analisando dados de maneira prudente e padronizada, constitui uma atividade indispensável ao controle dos processos produtivos, assim como à tomada de decisões. A célebre e única obra de Sun Tzu, “A Arte da Guerra” apresenta, sob uma ótica abrangente e permeada de um tom filosófico, a natureza dos conflitos e os fatores que os regem. Adaptar e interpretar a obra ao binômio custo-qualidade pode trazer meios de aumentar a qualidade e reduzir os custos de maneira simples, através da observação de um conjunto de parâmetros e atitudes, intra e extra organizacionais, que influenciam essas duas variáveis.

O livro “A Arte da Guerra”, escrito no século IV a.C. por um filósofo que se tornou general chamado Sun Tzu, sugere conceitos e variáveis a serem analisadas em qualquer situação de conflito, como um jogo, uma guerra, o mercado e os setores ou variáveis dentro de uma organização. Os conceitos e idéias propostos por Sun Tzu foram utilizados primeiramente por generais e estrategistas de guerra, propagaram-se para jogadores e já a algumas décadas são utilizados na política e no mercado. Sua filosofia principal é que é preciso conhecer bem o oponente e, tão importante quanto este, é conhecer a si mesmo através da análise de cinco fatores que o autor denomina como influência moral, clima, terreno, comando e doutrina. Estes fatores podem ser interpretados das mais diversas formas, sendo que a ideia fundamental de cada um deles é invariável. É perceptível uma relação clara entre os cenários de conflito descritos por Sun Tzu e as sugestões que este propõe com o mercado e os meios de lidar com o mesmo.

Concomitante ao progresso tecnológico, associa-se a evolução vertiginosa da qualidade, que se mostra como o conjunto de características de produtos ou serviços através do qual estes atendem às expectativas dos clientes. Este parâmetro tem crescido aceleradamente não só como diferencial de mercado, quando aplicado ao produto final, mas também como importante variável durante o processo produtivo, a fim de produzir com maior eficiência e eficácia.

Intrínseco a qualquer tipo ou forma de processo produtivo de bens ou serviços está o custo, principalmente para as organizações de fins lucrativos, que investem parte do seu capital em melhorias. Dentre estas melhorias, estão estudos e novas tecnologias, para a redução, tanto e custos fixos como variáveis, nos seus diversos processos produtivos e operacionais.

Produzir com qualidade e baixo custo não estão relacionados apenas com a tecnologia e matéria prima, mas principalmente produzir de acordo com o mercado e o cenário em que se está inserido. Dessa forma, conhecer o mercado e suas variáveis, analisando dados de maneira prudente e padronizada, constitui uma atividade indispensável ao controle dos processos produtivos, assim como à tomada de decisões.

Custo – Qualidade
O custo e a qualidade são variáveis que demandam grande atenção nas organizações contemporâneas, devido às exigências do mercado. Contudo, a maior atenção e controle recaem na relação entre essas duas variáveis, ou seja, no binômio que elas constituem.
Uma das manifestações desse binômio na organização é a produtividade. Segundo Feigenbaum 1994), esta pode ser definida como a razão entre a qualidade e o custo, de modo que a  produtividade aumenta se a qualidade aumenta e/ou o custo diminui.
É imperioso manter essas duas variáveis sob controle, não apenas de forma isolada, mas principalmente a relação entre elas de uma maneira unificada e padronizada, em todos os setores organizacionais.

Filosofia de “A Arte da Guerra”
“A Arte da Guerra” se baseia em cinco fatores, que são a influência moral, o clima, o terreno, o comando e a doutrina. Os fatores devem ser comparados entre os dois oponentes, de modo a determinar, entre outros parâmetros, quem está naquele momento mais forte, quem tem o melhor comando, que tropas são mais bem treinadas, a quem favorecem as condições de clima e terreno, quem tem as melhores alianças. Estudando a obra, é perceptível que o autor expressa que a vitória consiste em atacar em um ponto fraco do oponente e evitar os pontos fortes. A relação desse fato com os cinco fatores está em que são justamente estes que determinam os pontos fracos e fortes do adversário, pois, a depender da situação, um ponto forte pode tornar-se um ponto fraco e vice-versa. Objetivando tornar o inimigo mais fraco, o autor afirma a necessidade de separar as forças do adversário, seja rompendo as suas alianças com outros Estados, gerando conturbação entre o soberano e seus ministros, ou separando as forças do exército durante a batalha. Análogo a esse pensamento, ressalta que para aumentar a força é preciso fazer alianças e manter as forças coesas em um mesmo objetivo, desde os aliados até a tropa, no momento da batalha. A fim de atacar o oponente despreparado, Sun Tzu sugere que seja utilizada uma estratégia em que se distraia ou atraia o adversário, a fim de expor ou tornar vulnerável determinado ponto, sobre o qual será desfechado o ataque.
A aplicação da filosofia de Sun Tzu não se restringe somente à guerra, mas a toda e qualquer forma de disputa, competição e conflito, como jogos, relações interpessoais, disputas políticase concorrência no mercado.

Os cinco fatores
Sun Tzu sugere cinco fatores a serem avaliados em qualquer situação de conflito, sob uma ótica holística.

1 Influência moral
Por “influência moral” Sun Tzu entende o poder de um governante sobre um povo e a perspectiva que os indivíduos, e os Estados vizinhos, têm do governo em questão. Sua importância recai não apenas no apoio da população, mas também na obtenção de parcerias e aliados, visto que uma das primeiras providências ao iniciar uma guerra é agregar aliados à causa.
Abordagem empresarial – Análoga à abordagem anterior, no campo empresarial a influência moral pode ser encarada como a percepção da sociedade com relação aos produtos e à própria organização. Este é um fator fundamental para motivar o cliente a adquirir os produtos e ceder credibilidade à empresa. Os aliados, nesse caso, são os fornecedores, que podem vender seus produtos por um preço menor, em uma quantidade maior, assim como parcerias com empresas do ramo e adjacentes.

2 Clima
Por clima, entende-se o efeito do calor e do frio sobre o exército, e as condições características de cada estação como a pluviosidade, umidade e temperatura.
Abordagem empresarial – Facilmente perceptível como épocas propícias a determinados tipos de vendas, tais como os chocolates na Páscoa e os bens de baixo preço no Natal. Incluem-se também neste fator lançamentos na mídia, como filmes e telenovelas, nas quais uma grande quantidade de produtos são lançados, aproveitando a publicidade deste tipo de comunicação.
Em um nível mais abrangente, pode-se inferir inflações, oscilações de mercado e análises de cenário.

3 Terreno
Sun Tzu expressa por “terreno” as características do mesmo como elevações e depressões, rios, vegetação e se é difícil ou fácil de ser atravessado, onde se estreita e onde se alarga. Por ser imprescindível conhecer o terreno, tanto o do Estado como o do inimigo, é necessário por vezes contratar um guia estrangeiro, do próprio território inimigo, para fornecer informações precisas sobre este fator.
Abordagem empresarial – pode ser entendida como as distâncias entre os fornecedores, os clientes e a empresa, mão de obra local, recursos disponíveis no local, localização dos concorrentes, acessibilidade ao local, tipos de modais de transporte presentes no local, assim como a segurança.

4 Comando
As considerações de Sun Tzu sobre comando expressam a importância da escolha prudente de um general para liderar e coordenar as operações, pois, segundo o autor, uma vez eleito o general e iniciadas as operações, nem todas as ordens do governante devem ser seguidas. O general, segundo Sun Tzu, deve possuir cinco habilidades fundamentais, que são: a sabedoria, a coragem, a sinceridade, o rigor e a humanidade.
Abordagem empresarial – pode ser tratada como a capacidade de motivar os funcionários a serem cada vez mais produtivos. Infere-se também, nesse fator, a formulação de estratégias de desenvolvimento dos recursos humanos, como sistemas e métodos de premiação, incentivos ao funcionário, assim como a fomentação da cultura e do conhecimento entre os mesmos, através de cursos.

5 Doutrina
Por doutrina, o filósofo entende a organização, o controle, concessão das devidas patentes aos oficiais, regulamentação das vias de suprimento e provisão dos artigos principais utilizados pelo exército. Nesse ponto, o autor ressalta a importância da comunicação, seja responsável o mensageiro ou o espião, e afirma que é imprescindível que esta seja eficiente tanto dentro do exército como entre o exército e o Estado. Além desses parâmetros, tudo que envolve a utilização de equipamentos, acessórios e armamento está contido nessa variável, assim como a disciplina.
Abordagem empresarial – pode ser interpretada como a hierarquia empresarial, a competência dos funcionários, especialmente de gerentes e supervisores, por lidarem diretamente com um número maior de pessoas. Infere-se também a padronização das atividades, o planejamento e o controle da produção, cumprimento de prazos, formulação de estratégias, etc.

Análise da situação
Sun Tzu ressalta que, antes mesmo de iniciar a análise dos cinco fatores, a situação deve ser observada do ponto de vista macro e holístico (MCKETTLY, 2001; LIU at all, 2000). Vale ressaltar que os cinco fatores são interdependentes e influenciam-se mutuamente. Por exemplo, pode-se citar a avaliação de confeccionar em alumínio um produto que atualmente é produzido em aço. Essa modificação irá afetar a influência moral, pois há de se verificar a aceitação dos consumidores em relação ao novo material do produto. No clima, é preciso  veriguar o preço, os tributos, a demanda e os produtores atuais do mercado. No terreno, observa-se a localização dos fornecedores e consumidores. No comando, averigua-se o conhecimento de manipulação do material e tecnologias disponíveis, assim como profissionais com conhecimento em alumínio e profissionalização dos funcionários atuais, para atuar com o novo material. E por fim, na doutrina, averigua-se o cumprimento de prazos de alocação da tecnologia necessária, suprimentos para os clientes durante a transposição da linha de produção, planejamento e controle da produção e o novo layout.

Por fim, pretendeu-se demonstrar a viabilidade dos conceitos de “A Arte da Guerra”, desenvolvendo um estudo comparativo com o binômio custo - qualidade tendo, como base, a filosofia presente na obra e mantendo como objetivo o aumento da qualidade e a redução de custos.


Sugestão de Leitura:
Arte da Guerra - Para Empresas e Negócios

Em poucas páginas, "A Arte da Guerra para Empresas e Negócios", transmite aos leitores um conhecimento profundo e imensurável. O livro é baseado na arte da guerra de Sun Tzu, no Tao Te Ching de Lao Tse, na arte milenar dos mestres Ninja e espiões Shinobi. A combinação dos ensinamentos milenares, porém atemporais, dessas três filosofias oferece ao leitor um guia estratégico que poderá ser aplicado por empresas de qualquer porte, por profissionais liberais de todas as áreas, empresários e até mesmo na vida pessoal. Com uma linguagem clara e objetiva, o livro proporciona ao leitor a liberdade de poder lê-lo na ordem que desejar, pois a disposição dos capítulos não influencia o ensinamento.

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...